Mikrotik IP POOL

Padrão

Forçar IP dinâmico para cliente

Criar uma POOL com apenas um IP, e um NEXT POOL com o restante da rede.
Os IPs da NEXT POOL não ficam reservados para o cliente, forçando a atualização do IP.

Anatel SICI – Manual

Padrão
Estão obrigadas a enviar a declaração do SICI, as empresas que prestam os serviços de telecomunicações, no regime privado.
* A declaração do SICI deverá ser enviada mesmo que a empresa não tenha nenhum cliente ativo. Nesse caso, os indicadores relativos aos acessos em serviço (IPL3 e IPL4)
deverão ser preenchidos com zeros.
* As prestadoras que possuem até 5.000 acessos e que estão dispensadas de autorização, nos termos da Resolução Anatel nº 680/2017, também deverão enviar a declaração do SICI, da mesma forma que as prestadoras outorgadas.

Manual:

https://cloud.anatel.gov.br/index.php/s/bwE3PAh6xbak9cH#pdfviewer

Valgrind C++ Memcheck

Padrão

Para encontrar erros de memória em programas desenvolvidos em C++. Utiliza-se o Vangrind.

Faço o download do BZ2 do site: http://valgrind.org/

Ferramentas necessárias para usar o valglrind: autoconf e automake, ambos disponíveis pelo YUM.

As orientações de instalação estão disponíveis no arquivo README.

yum install autoconf automake
./autogen.sh
./configure
make
make install

 

Acessar Roteador WiFi atras de NAT

Padrão

Regras de firewall parra acessar um roteador que esteja atrás de um NAT.

iptables -t nat -A PREROUTING -p tcp -i ppp0 --dport 8080 -j DNAT --to 192.168.0.1:80
iptables -t nat -A POSTROUTING -d 192.168.0.1 -j MASQUERADE

Alguns roteadores, principalmente os TP-Link, bloqueiam o acesso através de redes externas, neste caso será necessário modificar o cabeaçlho REFER do HTML. No Firewall isto é feito com o plugin RefControl, coloca-se para forçar o REFER como o ip do roteador. por exemplo: http://192.168.0.1

Debug programa C++

Padrão

Para debugar um programa em C++ utilize a opção “-g” na compilação, será gerado um arquivo a.out

g++ -g clientes.cpp

Depois inicie o debugador gdb

gdb a.out

Depois só executar o programa através do deputador

run clientes

Depois que ocorrer o erro é só dar um “backtrace”

backtrace

SELinux – Permissão arquivos

Padrão

You can check the current SELinux permissions with the following command:

ls -lZ

You can set SELinux permissions with the following command:

chcon unconfined_u:object_r:httpd_user_content_t:s0

You can use a wildcard to change all files in a directory like so:

chcon unconfined_u:object_r:httpd_user_content_t:s0 *

You can set permissions to all files and directories recursively using this (this is the command that will likely fix your permission issue, you should avoid 777 like then plague):

chcon -R unconfined_u:object_r:httpd_user_content_t:s0 *

If you wish to use home directories to serve sites or applications, you need to issue this command:

setsebool -P httpd_enable_homedirs=1

I have had issues with fsockopen on centos with Selinux and I had to use the following (the -P makes this change permanent, you will liekly need this command also):

setsebool -P httpd_can_network_connect 1

You can see what flags are set on HTTPD with:

sestatus

 

Desbloquear modem GVT

Padrão

Comando para desbloquear modem GVT.

Acessar através de telnet.

cd Services_GvtConfig; set AccessClass 4; fcommit; reboot

 

Sagemcom F@st 5350 GV – Desbloqueio

Abra seu navegador (Mozilla Firefox ou Google Chrome), entre na página de configuração do modem e faça login. Com a página aberta, pressione CTRL+SHIFT+K no Firefox ou CTRL+SHIFT+J no Chrome. No console que abre, de acordo com a versão do firmware de seu modem, entre com:

SG790131200068 e SG790131200312

$.xmo.setValuesTree(4, "Device/Managers/NetworkData/RunLevel")

SG790131200412 e SG790131200418

var x = $.xmo;
x.init();
x.login("internal", "");
x.setValuesTree(4, $.xpaths.runlevel);
Reinicie o modem, ele estará em runlevel 4. Se quiser outro runlevel, basta trocar na linha acima.